Raquel Lessa quer que São Gabriel seja a capital capixaba do conilon

_DSC4560

Um município capixaba para representar um dos principais produtos agrícolas da economia do Espirito Santo. É o que propõe o Projeto de Lei (PL) 397/2017, de autoria da deputada Raquel Lessa (SD). O projeto denomina São Gabriel da Palha como a capital estadual do café conilon. O município foi escolhido por ter grande produção de conilon e também por causa da sua história com o café. Quando os cafezais foram erradicados em todo o país, na década de 1960, por determinação do governo federal, a economia do Estado chegou bem perto do colapso. A crise do café foi um dos mais duros períodos para o Espírito Santo. Foi quando o conilon foi introduzido no Estado. Um imigrante polonês, Eduardo Glazar, resolveu experimentar uma nova espécie de café em São Gabriel da Palha. O conilon deu muito certo e acabou virando cultura em outros municípios. Hoje o Espírito Santo é o maior produtor de café conilon do Brasil e responsável por 20% do café robusta do mundo, de acordo com dados do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural, (Incaper). Pesquisa do conilon Reconhecendo a importância do município de Marilândia como potência cafeeira, a deputada estadual Raquel Lessa propôs a Lei 10.736/2017, que declara Marilândia capital da pesquisa em conilon. A cidade abriga a Fazenda Experimental do INCAPER, reconhecida como 1º Centro de Pesquisa de Café Conilon (Coffea canephora) do país. A fazenda tem servido para estudo e propagação do nosso café para todo o mundo. Para se ter uma ideia da grande importância destas pesquisas, até o final deste ano, será lançado a 10ª variedade do café Conilon que é tolerante à seca pelo INCAPER. Um produto genuinamente capixaba, que foi gerado depois de um trabalho contínuo realizado nesta fazenda.